IT´S ALIVE! IT´S ALIVE!

wood

Este livro é uma apaixonada defesa do romance realista. Com muita elegância e propriedade, num texto acessível, mas rigoroso, Wood rebate a ideia de que o realismo na ficção vai mal das pernas já há algum tempo. Ele tenta provar isso, analisando a origem do realismo moderno, com a revolução literária promovida por Flaubert, até os dias atuais, separando o que ele considera o joio do trigo, ou seja, os autores que evoluíram o conceito de realismo na literatura e os que se tornaram meros mimetizadores da realidade.

Para Wood, o realismo literário não é uma cópia da vida real, mas uma recriação, uma seleção de detalhes e modos de dizer que estimulam o leitor a (re)imaginar essa realidade. Por isso, para ele, a musicalidade da prosa, a profundidade dos personagens e a maneira de o escritor-narrador se inserir no texto, enfim, a atmosfera ficcional, são mais importantes do que a trama. Nesse sentido, a melhor literatura é aquela que discorre sobre o mundo real de uma forma arrojada e viva, dando-lhe outro significado.

Wood defende sua tese muito bem. Há reflexões essenciais sobre o discurso indireto livre (um dos pontos altos do livro), onisciência do narrador, cuidado com a linguagem, funções do diálogo e a importância do detalhe. Pensamentos úteis para qualquer um aprimorar sua escrita, inclusive, autores de terror, fantasia, ficção científica e policial. Contudo, o problema na visão de mundo de Wood é a falta de generosidade.

Ao terminar Como Funciona a Ficção, fica claro, mesmo que Wood não diga isso explicitamente, que ler literatura de gênero é uma perda de tempo. Porque há autores mais interessantes para o leitor se dedicar. Autores mais exigentes , que proporcionam uma recompensa estética e filosófica mais enriquecedora. Mesmo que, por exemplo, Wood reconheça John le Carré como um autor de suspense acima da média, ainda assim seus romances de espionagem, com personagens e tramas complexas, ficariam devendo em relação à linguagem, considerada convencional.

Essa má vontade de Wood tira um pouco do brilho de Como Funciona a Ficção. Mas naquilo em que autor se propõe, ou seja, provar ao leitor a importância da ficção realista, ele é tão bem sucedido que transformou seu livro numa leitura obrigatória.

Como Funciona a Ficção, de James Wood, 232 págs., SESI-SP.

AVALIAÇÃO: RUIM, REGULAR, BOM , MUITO BOM, EXCELENTE

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s